domingo, 15 de novembro de 2009

Conceitos da Obra de Max Weber.

PS: Se tiveres uma disciplica de Fundamento de Política ou Sociologia... melhor estar preparado: Beijos para prof Shirlei que me deu nota 9... Quase nem acreditei, eita nota boa!


Racionalização, Burocracia, Dominação e Desencantamento do Mundo
A racionalização da sociedade ocidental é um dos principais conceitos na obra de Max Weber. Weber era orientado pela tradição alemã do pensamento de Kant, que concebe um dualismo entre ciências naturais e sociais, indo contra o positivismo em sua forma tradicional.
Weber queria compreender os fatos sociais pela sua essência, utilizando sua sociologia. Para entender a sociedade, Weber vai além dos fundamentos das ações humanas e das relações pessoais baseadas no tradicionalismo.
A Vida Social seria composta de um politeísmo de valores de combate mútuo, novas formas da sociedade de pensar e agir que favorecem o processo produtivo, fazendo assim, o Estado evoluir e modificar com a centralização do sistema tributário.
As reflexões de Weber sobre o capitalismo ocidental, a sociologia da religião e os tipos de dominação ajudaram a entender o mundo moderno.
Na religião, Weber encontra uma racionalização ética com caráter autônomo ao observar a sociedade, solucionando problemas sociais e políticos através da influencia religiosa. No estudo de Weber, as ações humanas, ciência, política, etc, só tem razão de ser, se é para garantir a liberdade.
Já a burocracia é o conceito mais importante de sua obra. Para Max Weber a burocracia é um instrumento de poder na estrutura social da modernidade ocidental. A burocracia era a administração, poder, uma estrutura social e um tipo de organização, que estava presente em todas as organizações: Estado, Igreja, partidos etc.
Para Weber os fatores que desenvolveram a burocracia foram a economia monetária, utilizando a “moeda” para transações econômicas e a Superioridade Técnica, sendo a burocracia a organização de maior poder.
É uma formação social que segue princípios da área jurídica tendo regras que devem ser obedecidas pela sociedade e é uma individualidade histórica. Então, a burocracia é uma organização ligada por leis e normas.
Há um divisão racional de trabalho com relacionamento a nível de cargos com uma hierarquia onde um cargo inferior é controlado por alguém do cargo superior. Os “funcionários” obedecem à burocracia sem autonomia. As pessoas são escolhidas através da Meritocracia, baseado no mérito e na competência técnica.
Outro conceito da obra de Weber é a Dominação ou seja, uma maneira de encontrar uma forma de obediência para uma ordem. Existe um dominante e o dominado, onde existe um quadro administrativo ou grupo que está sobre ordens dominantes. Este conceito é relacionado à probabilidade de impor a própria opinião ou desejo numa relação social burocrática.
Tipos de dominação/poder:
- Tradicional: autoridade conservadora de fidelidade tradicional, Patriarcal e Patrimonialista – Ex. autoridade dos pais sobre filhos, senhor do engenho, senhor feudal. Classificado por Weber, como sendo uma dominação estável, devido a solidez do meio social que age sobre dependência da tradição na consciência coletiva.
- Carismático: conquistado/eleito pelo carisma, heroísmo, oratória, poder intelectual etc. Ex. Lula, Getúlio Vargas, Padre Cíceso. Para Weber, este é de caráter autoritário e imperativo. Contudo classifica a Dominação Carismática como sendo instável.
- Legal, racional ou burocrático: administrativo onde qualquer direito pode ser criado e modificado através de um estatuto. Ex. Chefes de organizações, diretores, governantes. Este tipo de dominação para Weber é classificado como estável, pois é baseado em normas onde o poder é legalmente assegurado.
O desencantamento do Mundo serviu de inspiração para Weber a partir das reflexões de um filósofo alemão Friedrich Schiller. Max Weber deu dois sentidos para este sintagma, um o Desencantamento do Mundo pela Religião e outro como o Desencantamento do Mundo pela Ciência.
Para Weber a Sociologia da Religião se ocupa de duas formas de relação com o sagrado: Magia e Religião. A Magia é o momento antes da religião, uma humanidade animista, imersa num mundo espiritual, capaz de influir na vida humana. No raciocínio weberiano, a Magia está na coerção do sagrado, e conjuração de espíritos. Já a Religião para Weber é respeito, prece, culto e doutrina. Representa um momento cultural da racionalização em relação a Magia, por isso ele chamou de desencantamento a passagem das duas idéias. “... a travessia do império do Tabu ao domínio do pecado, do conjuro para as suplicas e orações”, diz Weber (p. 70).
Desencantamento, religioso e cientifico, o primeiro determina um modo de viver para uma sociedade, uma postura perante o mundo. O segundo rege ao fato de que a ciência não tem capacidade de dar sentido a tudo no mundo, apenas a uma parte de acontecimentos.
A religião é fundamental para compreender este sintagma, ela que dá o sentido ao desencantamento expresso por Weber. Um processo interno da religião com conseguência para o cotidiano da sociedade.
Estes quatro conceitos são a base da obra de Max Weber, ele que foi professor universitário, jornalista fluente, historiador, economista, filósofo e principalmente foi um dos fundadores da sociologia.

0 comentários: